Você sabe lidar com confusão emocional?


Cada pessoa lida com seus sentimentos de forma própria. As emoções são forcas motivadoras. Nos impulsionam positivamente ou nos levam a auto defesa, limitam, aprisionam. Quando uma dor emocional não é resolvida, ela se volta contra a própria pessoa.

E ainda toda a energia emocional não expressa e não compreendida segue viva em nos esperando uma resolução. Isso pode levar a varias crises emocionais, confusão emocional e doenças psicossomáticas, variações de humor, sentir-se inadequado(a).

Se você chegou ate esse texto conhece o peso e mal estar das confusões emocionais. Normalmente essas tem raízes profundas na infância, a qual você pode não reconhecer em um primeiro momento. Mas as crises são ativadas por gatilhos emocionais como: medo, culpa, pavor, angustia, insegurança, incerteza, pensamentos catastróficos sobre o futuro, sofrimento por antecipação.

“Pânico de errar e ser punido(a)”.

O medo de fazer algo errado e não dar conta das consequências, ou prejudicar familiares, perda financeira podem ser gatilhos de crises emocionais. Quando muitos pensamentos, sentimentos e sensações físicas se juntam desencadeiam a confusão emocional, que pode apresentar-se como paralisia emocional, crises de choro, dores diversas pelo corpo, pensamentos obsessivos, paranoias.

Como esta seu auto conhecimento emocional? As crises levaram a pessoa a buscar ajuda especializada. É importante buscar linhas de orientação psicológica que aprofundem o auto conhecimento emocional, como a psicologia junguiana.

As vezes a hipnose, meditações e PNL são ótimas técnicas complementares no tratamento das fragilidades psicológicas e auto conhecimento. Por isso me especializei nelas, para aprofundar os tratamentos que buscam restauração e equilíbrio emocional.

Perfeccionismo

Você espera fazer tudo certo de primeira? Sente-se inadequado(a) quando não domina um assunto? Em crise emocional nossa mente desloca-se em varias direções, isso gera um enfraquecimento mental e psicológico, perde-se o senso de direção.

Além disso, existe uma inquietação, culpa e pensamentos obsessivos. A culpa do que se fez, do que se poderia ter feito, do que se não foi a tempo de fazer, do que se quer fazer e parece impossível que se faça. É a mente a pagar o preço de uma vida de atribulações várias e que chegou a um ponto que parece de não retorno.

Tirar um tempo para Ressignificar o passado

Nessa fase temos um somatório de decisões do passado. O primeiro passo em direção a clareza é reconhecer que não se deseja mais a exaustão desse sofrimento. Reconhecer o problema ajuda o corpo a relaxar e desperta o bom senso, a busca por ajuda.

Muitas pessoas não aprenderam a lidar com suas experiências emocionais. Foram disciplinadas se criticando quando faziam algo que não era aceito pela família ou cultura.  Esses condicionamentos geram bloqueios internos, “não deveria sentir isso”.

Muito comum na terapia após os 35 anos as pessoas se identificarem com os sintomas. Achando que ser autoritário ou medroso é algo comum em sua personalidade. Na verdade existe uma necessidade de autoconhecimento, parar para refletir sobre a vida e ouvir os sentimentos.

Olhar para os detalhes do sistema familiar e o passado permite compreender a origem das confusões emocionais. Pode estar no suicídio, alcoolismo, esquizofrenia em uma terceira ou quarta geração (avos e bisavós).

Principais sintomas de confusão emocional

  • Sensação de tédio e falta de prazer em atividades que antes eram estimulantes.
  • Sentir-se culpado por situações passadas.
  • Alterações bruscas de humor.
  • Crises de choro
  • Exaustão mental e corporal
  • Obsessão por detalhes antes de tomar decisões
  • Preocupações excessivas e catastróficas
  • Falta de sentido na vida
  • Indecisões, desistências.
  • Sentir-se inadequado
  • Crises de ansiedade/pânico
  • Doenças psicossomáticas (alergias, gastrite, dores na pernas, dores de cabeça, acne, tontura)

Amadurecimento Emocional

Mérito quer dizer energia positiva acumulada. Quando meu analisando (paciente) vai se empoderando de sua historia pessoal, diminui a rejeição dos sentimentos. Passa-se a assimilar os sentimentos, as sensações no corpo e refletir para tomar decisões a partir disso.

Em psicoterapia, somos o resultado constante do amadurecimento de nossas marcas mentais e emocionais ressignificadas. Lembra que falei que o primeiro passo é decidir mudar? Quando  estamos comprometidos com descobrir novos caminhos abandonamos hábitos nocivos como controle, perfeccionismo, agradar os outros.

Aprende-se a reconhecer a necessidade de estar só, escolher pessoas e situações para sermos criativos, prazeroso. O auto cuidado se expressa por cuidar da individualidade com amor, gentileza, intuição.

Espero que este texto tenha te ajudado a refletir sobre a necessidade de cuidar de seus sentimentos. Toda crise é uma oportunidade de buscar ajuda psicológica para nossas feridas emocionais.