Trauma do Abuso Sexual – Dor e Tratamento Psicológico


Abuso sexual é uma grande violência. Um trauma físico, psicológico, afetivo, social que vai gerar uma ruptura de vida interior e uma grande demanda de questionamentos e porquês. E como arrumar a psique apos o trauma? Como conviver em sociedade com tantas pessoas falsas e maldosas?

De inicio – Reflexões e Definições

Segundo a filosofia, a palavra ética vem deriva do grego e pertence a palavra Caráter. Para Sócrates o comportamento ético, ou seja,  encontrar o melhor modo de viver e conviver seria o divisor entre civilização e barbárie.

Passando a Kant, existem regras essenciais para viver em sociedade como o respeito, o cultivo do sentimento e consciência em relação ao bem estar do próximo. Kant chama o abuso de comportamento contra as leis da natureza humana e que a postura ética é essencial para o bom convívio.

Resumindo, abuso como algo cruel, horrível, fora da moral e ética, um crime. Segundo o dicionario de psicologia, abuso sexual indica um comportamento inadequado, excessivo, contrario a vontade, valores e desejos, consciência.  Muitas vezes com desnível de poder, seja por machismo, autoridade, falta de empatia, sociopatia, aproveitar-se da fragilidade social, emocional ou psicológica do outro. Fere-se o direito a liberdade do ser humano e cruza-se a fronteira para o irracional (tragedias). 

Levando Luz ao Trauma

Na minha experiencia como psicologa ainda percebo a dificuldade das vitimas lidarem com o trauma, aceitar o que aconteceu e conseguirem falar a respeito ate elaborarem psiquicamente todos os conflitos ligados neste complexo. Tive algumas experiencias muito bem sucedidas, em tratamento de uma mulher com conflitos conjugais e que sofreu abuso por anos na infância. Em uma terapia por mais de ano, a paciente sublimou o trauma por aceitar o trauma, perdoar o agressor psicologicamente, perdoar os pais, tratar seus relacionamentos marcados por desconfiança, ciume e estabelecer relações mais saudáveis com as pessoas. Especialmente consigo mesma, no resgate do amor próprio e de sua auto estima.

Noutra experiencia clinica positiva tratei uma mulher adulta com depressão suicida, a qual também sofreu abuso de familiares na infância. Ao longo de dois anos de terapia minha paciente conseguiu sublimar o trauma elevando sua auto estima, se permitindo ser alegre e feliz na medida que desconstruiu suas crenças destrutivas associadas ao trauma.

Sublimar, para quem não conhece esta palavra, significa em psicanalise mudar a memoria traumática para uma energia que não causa mais dano, dar uma vazão positiva ao trauma.

Infelizmente, nas experiencias negativas destacou-se os mecanismos de defesa ante o trauma. Insensibilidade, descaso, negação, sadismo. Talvez seja por isso que muitas pessoas que sofreram abuso ficam em silencio. Embora acredito que esta cultura esta mudando e fico feliz com isso. Aceitar e tornar consciente  é o inicio do tratamento.

Voltando a filosofia, que gosto muito para refletir, Kant aborda o abuso sexual (vitima mulher, homem, criança, adolescente) como sendo algo anti-humano vai gerar o sentimento de morte psíquica: sentimento da derrota, falta de dignidade. A cultura machista, alienada nos valores profundos éticos e humanos de deixar o criminoso intocável piora todo o trauma Kant usa a palavra morte, o que eu acredito que define bem este trauma. Não  é aparente, mas la dentro tem uma grande ferida.

Lutar, Reagir, Resgatar-se, Preservar a vida.

O caso não esta perdido. Segundo Jung, a mesma forca destrutiva de um trauma pode criar uma forca paralela para lutar contra este mal. Tomar atitudes dignas como aceitar, tornar-se consciente, buscar seus direitos e o mais importante para tratar o trauma: é fundamental a busca por um Psicólogo (a), pois a Psicoterapia (CRP) tem fundamentação científica, buscando trabalhar a reconstrução da identidade e os sintomas causados pelos traumas.

Não se deixar dominar pelos sentimentos negativos, utilizar a racionalidade diante destes traumas críticos, se abrir em ambiente terapêutico. A ética filosófica reflete que lutar ate o fim da uma vitoria a ética. A pessoa que sofre abuso e decide lutar, enfrentando todos seus medos e desejos auto destrutivos ultrapassa a bestialidade do agressor(a). Não podemos aceitar as condutas anti humanas, a universalização do mal como por exemplo, o abuso como tentativa de relacionamento. A luta reflete a preservação da vida levando em conta a qualidade de vida. Não viver por viver mas resgatar a si mesmo e construir uma vida satisfatória.

Algumas das consequências do abuso sexual:
(variam segundo cada pessoa).

Sentimento de culpa, perseguição e desconfiança.
Isolamento social. Sensação de ser sujo(a)
Medo, panico, insegurança, bloqueios na sexualidade.
Transtornos de depressão, ansiedade, ansiedade generalizada, boderline.
Compulsões alimentares, compras, vícios.
Conflitos constantes em relacionamentos amorosos.
Não estabelece vinculo de confiança.
Surtos emocionais sem dialogo, bloqueio emocional.
Bloqueios sexuais.
Falta de auto estima, dificuldade de relacionar-se de forma leve e saudável.

Traumas Sem tratamento psicológico

Sem acolhimento adequado, ser humano se fecha em seu mundo e vai seguindo a vida como pode. Normalmente colocando as feridas em suas gavetinhas da alma e deixando essas bem fechadas, achando que não lembrando, tudo vai se  resolver. A vida segue, pode ser que esta gaveta nunca seja aberta e a pessoa tenha uma vida tranquila (muito raro) ou em alguma situação afetiva, o trauma vem a tona trazendo toda a dor e sofrimento do momento do trauma. Assim, neste último caso, muitas pessoas se perguntam e sofrem com sentimentos negativos intermináveis.

Sim, o trauma do abuso deixa marcas para sempre. Dolorosas marcas. Dolorosas consequências. Quantos adultos não conseguem se relacionar de forma saudável e feliz devido ao padrão de abuso? A vida fica dividida entre o antes e depois do abuso, com suas consequências particulares.

Outros tipos de abusos

Abuso Emocional, Abuso verbal, Abusos Físicos, bulliyng, assedio moral, negligencia psicológica, neglicencia material. Independente do tipo de abuso, toda pessoa que sofre violência perde um pouco ou muito de sua autonomia.

Em meio as tempestades o que vale a pena é lutar (Sheila Walsh)

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *