Envelhecimento e Cuidado de Si


Cada pessoa lida com o envelhecimento de uma forma. E ainda, suas consequências. Normalmente uma pessoa começa a dar-se conta quando sua memória não é mais a mesma, ou com as mudanças do metabolismo, alterações da libido e os questionamentos sobre a aposentadoria.

Nessa fase temos um somatório de consequências de decisões do passado. Essas podem ser prazerosas ou dolorosas, conforme as escolhas. Normalmente os jovens não pensam a longo prazo. Algumas pessoas na juventude vivem tentando resolver uma série de conflitos como família trabalho, cuidar de filhos e na correria se esquecem de si mesmas e que a vida deve ser uma experiência gratificante.

Na correria da juventude, pode-se tomar muitas decisões que geram arrependimentos e conflitos com o passar da idade. Além disso, hábitos negativos como agressividade, autoritarismo, alcoolismo, timidez, excesso de trabalho, doenças de fundo psicológico tendem a cristalizar com o passar do tempo.

Muito comum na terapia após os 50 anos as pessoas se identificarem com os sintomas. Achando que ser autoritário ou medroso é algo comum em sua personalidade. Na verdade havia uma necessidade de mudanças, de auto-conhecimento, parar para refletir. Quem eu sou? para onde estou indo? o que é importante para mim? Estou Feliz?

A terapia após os 50 anos é uma oportunidade de melhorar a psique e a alma. Passado as preocupações com dinheiro, a criação dos filhos, chega uma hora que a consciência faz uma visita. E nunca é tarde para sentir-se bem, renovar-se e ajustar o caminho.

As pessoas estão vivendo cada vez mais, mas envelhecer com qualidade depende (e muito) da flexibilidade mental e de comportamentos, emoções positivas, objetivos de vida.

A falta de preparo para enfrentar a aposentadoria faz com que muitos entrem em crise por imaginarem que a partir daquele momento não serão mais “úteis”, ou por entenderem que, ao se aposentar, estarão admitindo que a velhice chegou. Outros acabam se aposentando e, logo depois, percebem que não sabem lidar com a nova rotina, que o fato de terem liberdade para fazer o que quiserem, ou não fazer nada, lhes deixa de mãos atadas, lhes impossibilita a realização novas tarefas.

Aproveitar o tempo com qualidade de vida e felicidade é uma benção que alguns conquistam. Normalmente, quem é comprometido consigo mesmo, se escuta. A idade traz perdas e ganhos, e a terapia pode ajudar homens e mulheres a entenderem essa nova fase, a se reencontrarem, a recuperarem os laços familiares que podem ter se rompido pelo caminho ou que até mesmo não foram cultivados devido às preocupações com a correria do dia-a-dia, pois quando em terapia, a pessoa consegue superar culpas e aprende a lidar com problemas familiares.

A psicoterapia é uma grande aliada neste momento da vida. Pode ajudar a lidar com as dificuldades, os medos, com as frustrações, criar possibilidades para as limitações e a desenvolver potencialidades para se agenciar com as emoções comuns a este período.

Aprender a lidar com a ansiedade os sentimentos que nos atravessam e geram angústiaMuitos idosos sofrem com intensidade com a preocupação exagerada com os filhos e netos e outras pessoas próximas. Aprender a dar o peso correto para cada situação, e entender que cada um de nossos entes queridos é responsável por suas escolhas e atitudes, pode tornar a vida mais leve e diminuir o sofrimento gerado por estas preocupações.