O que implica a infidelidade?


Hoje farei uma analise sobre o tema infidelidade. Um trauma profundo que desestrutura famílias e relacionamentos afetivos. Causa brigas graves entre casais, divórcios. Ocasiona estresse pós traumático em quem passa pelo trauma de uma traição e o medo de voltar a se relacionar e ser novamente traído(a). E em outro cenário existem as “traições em segredo” ou “sei que trai mas é só físico”. Este ultima vou chamar de “traições coniventes ou com aceitação cultural”.

“Dra Lisi, achei um brinco no carro do meu pai que não é da minha mãe”.

Sendo psicoterapeuta com abordagem para traumas e terapeuta de família/casal estuda-se padrões de sistema familiar. Nesses padrões verifica-se que a traição não ocorre de forma isolada. Ou seja, existe toda uma cultura familiar e social. Nessas culturas homens e mulheres podem ter aprendido na alfabetização emocional associações de infidelidade com status, a fazer diferença entre “mulher/homem para prazer e a mulher/homem dona de casa”.

O ponto que eu quero chegar é que a traição vem de gerações, precisa ser analisado o sistema familiar. é um comportamento disfuncional, patológico, que inicia-se nos vínculos familiares. Envolve os valores familiares, a forma de amar e demonstrar amor, a qualidade do dialogo, da atenção, querer bem, construir uma família e decisões nesse processo. Isso envolve inteligência emocional, amor, caráter, personalidade, sexualidade saudável, ter objetivos em comum, desejo sincero pelo bem estar e crescimento do outro, querer a felicidade do cônjuge, colocar-se no lugar do outro.

A frase de destaque acima eu ouvi de uma paciente nos seus 12 anos. Foi a descoberta dela ou a certeza do que já pressentia que seu pai traia sua mãe. Ela já presenciava brigas entre os pais, acusações, seu pai negava a traição. E isso ocasionava um profundo sofrimento. Choro, magoa, auto mutilação, raiva do pai, etc. Contar ou não contar do brinco para a sua mãe? -era a angustia da minha paciente.

Vida Dupla & Dor da descoberta da traição pelos filhos

Como quase todos os traumas, a dor é reprimida. E assim a maioria dos filhos não contam para o cônjuge traído (pai/mãe) da traição. Tambem existe a vergonha, o medo. As vezes contam e os familiares revoltam-se e não acreditam. E tem algo pior emocionalmente: quando os filhos veem quem traem levando uma vida dupla e aceitando isso. O que causa muita revolta, magoa, decepção, medo de crescer e ser traído ou trair também.

A dupla personalidade é uma doença psicológica grave. Assim como todos os componentes das traições: mentira, ilusão, idealização, narcisismo (status, poder), egoísmo, busca por prazer imediato, relações objetais, promiscuidade, fuga da realidade, prazer a qualquer custo. As consequências para pessoas que visam relacionamentos afetivos e saudáveis são dolorosas e traumáticas.

Esses traumas familiares aparecem com o medo de ser traído pelo cônjuge, ciúmes abusivos, possessividade. E é muito importante ser trabalhado em psicoterapia, porque a vivencia de um trauma paralisa emocionalmente e pode atrair o que se teme inconscientemente, muitas vezes atrai e coloca as pessoas em crises terríveis. Como se os maiores monstros (medos) saíssem das profundezas.

Quem passa por isso normalmente tem baixa auto estima, dificuldade de confiar no parceiro(a), pode fazer tempestade em copo de agua, sobrecarregar o parceiro(a) com pressões ou vigilâncias constantes. Mas não é responsabilidade do parceiro(a) o que aconteceu na sua infância ou na sua historia. é seu. Fazer psicoterapia é abraçar sua historia, suas feridas e ressignificar as vivencias.

“Meu marido sempre me traiu, minha mãe e vó achavam normal. Também eram traídas. Mas ele não podia me deixar. Por que ele saiu de casa? O que eu fiz da minha vida?”

Nesse relato acima minha paciente estava gravida de 6 meses. Eles tinham planejado a gravidez e o cônjuge um dia saiu de casa e pediu o divorcio por mensagem. Disse ter se apaixonado por outra pessoa. Esse caso ilustra bem como os padrões de auto sabotagem e inconscientes se reproduzem.

Quem faz psicoterapia antes de casar ou de construir uma família consegue visualizar suas tendências e fazer escolhas mais assertivas. As pessoas que passam por traições veem-se reproduzindo sofrimentos e arrependidas por um tempo que não vai voltar. Tem-se um luto emocional, a quebra de confiança, a falta de respeito.

Por que ele(a) me machucou dessa forma? O que eu fiz para merecer isso?

Com a verdade, a imagem do parceiro(a) fica destruída e abalada. Inicia-se a reflexão de tudo aquilo que você ignorou ou não quis ver antes. Relacionamentos abusivos dão sinais desde o inicio mas se a pessoa esta inconscientemente presa em codependencia afetiva, traumas, auto sabotagem, ela não vai enxergar. Da mesma forma como quem trai esta agindo no piloto automático, sem um proposito existencial.

Um passo muito importante para a recuperação emocional é sair da vitimização. Cada um tem a sua responsabilidade. E se aproveitado o aprendizado psicológico pode levar a maturidade, ao autoconhecimento, cuidar de si mesmo.

A agressividade passiva inclui a abordagem passiva, retraída ou apática em relação aos relacionamentos. É mais um comportamento destrutivo que você aprendeu durante a sua infância. Cuidado se você trata seus parceiros(a) querendo salva-los, ou muda-los ou com esperança que o com o tempo vai ser diferente.

Foi você que traiu? Se você esta lendo este artigo porque cometeu a infidelidade, eu sugiro agendar uma avaliação psicológica e fazer uma psicoterapia de acordo com o diagnostico. Tambem sugiro ser verdadeiro(a) e respeitar o outro após o termino. E evite novos relacionamentos ate fazer um tratamento, ao ficar plantando vento uma hora colhe-se tempestade.

Como recuperar-se emocionalmente diante de uma traição?

A análise é um processo de consciência. Reflita:

Quem eu sou? O que eu estou fazendo? O que eu quero para mim? O que eu acho que mereço?  Entender-se a partir de um olhar mais ampliado. Dar-se a chance de recomeçar e corrigir erros, comportamentos. Mudar para melhor. Desistir de mudar os outros e concentrar-se em sua evolução pessoal.

O lado libertador de encerrar um relacionamento com traição é parar de prolongar o sofrimento. Se o respeito acabou, se já existem outros(a) na história, a sabedoria seria deixar ir. Aceitar. Desvincular-se de uma relação doentia. Criar consciência.  Em primeiro lugar, o amor a si mesmo e a vida, a família.

A traição pode ser prevenida ou evitada? Escute seu coração e converse com seu parceiro(a). Ou busque ajuda para ajudar-se.

Muitas famílias que tive a honra de atender eu perguntava qual era o segredo de 40 anos juntos e unidos. A resposta era quase sempre a mesma: colocar-se no lugar do outro(a) e fazer o que gostaria de fizessem comigo.

A empatia, respeito e amizade são uma qualidade dos relacionamentos que fazem bem ou saudáveis. Algumas vezes o relacionamento começa bem, as personalidades estão saudáveis mas a falta do dialogo, decepções do dia a dia, podem despertar gatilhos de carência afetiva e confusões emocionais.

Muitas pessoas tem medo de falar o que sentem aos seus parceiros. Desconforto sexual, sentimentos, não se sentem compreendidos, mudanças de rotina após nascimento dos filhos. Tudo que não é falado pode ir gerando um distanciamento. E se não trazido para a consciência pode levar a fuga da traição.

Algumas pessoas que traem pela 1 vez procuram a psicoterapia para nunca mais fazer isso. É como se cruzassem uma fronteira e entram em grande culpa e arrependimento. Arrependem-se profundamente das suas atitudes e por terem magoado suas famílias. Não tem volta após uma traição. Não se apaga o passado, mas com consciência pode-se recomeçar.

Essa é uma verdade que é desconfortável, mas somente podemos mudar um relacionamento ruim após aceitar que precisa de mudanças ou chegou ao fim. As verdades doem no inicio mas podem mudar vidas positivamente, como a minha paciente gravida que refez a sua vida. Ela voltou a trabalhar, reaproximou-se de sua família casou-se novamente anos depois. Normalmente nos natais recebo mensagem dela com agradecimento e sempre a lembro que ela foi a responsável pela decisão de enfrentar e lidar com emaranhado, eu colaborei com meu trabalho a partir disso.

Para melhorar o dialogo e fortalecer o relacionamento a psicoterapia de casal é uma consulta especializada. Muitas vezes preventiva ou esclarecedora para conflitos conjugais. Saiba mais sobre esse serviço clicando aqui. 

E para seu auto conhecimento ou psicoterapia especializada em traumas, clicando aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *