Imagine suas possibilidades.


Você conhece todas as suas necessidades?

O ser humano possui, cada vez mais, um profundo anseio em cada coração humano por um estado mais satisfatório de consciência e uma capacidade maior de viver a vida. Na psicoterapia, isso se traduz a olhar para dentro de nós.

Quando você se olha no espelho, o que sente? Está satisfeito? em paz?

Quando percebemos que não é possível conquistar a paz interior através da posse de bens materiais ou relacionamentos voltamos a atenção para dentro de nós e começamos a perguntar: – quem sou eu? do que sou capaz? o que eu sonho para mim? como valorizar mais quem eu amo? estou feliz? entre outras perguntas…

Como ser feliz? Sua Mente está a seu favor?

A pergunta “quem eu sou”, desperta os mais variados sentimentos e personagens. Podemos encontrar uma criança ansiosa, ego condenador, lembranças fragmentadas de aprovação ou desaprovação. Isso revela nosso infinito e vasto universo interior, um inconsciente pronto para vir à consciência e ajudar nos processos de encontro e superação.

Todo trabalho interior é válido quando aprofunda nossa experiência e consequentemente amplia a compreensão da pergunta: – quem sou eu?

Quando aceitamos os atributos negativos que existem em nós mesmos, que projetamos nos outros, começamos a ter mais harmonia com a vida como um todo. Os erros, defeitos são uma parte dolorosa.

Infância – Primeiros aprendizados sobre a vida e relacionamentos.

A criança dentro de nós tem medo de reconhecer suas qualidades e imperfeições. Por medo de ser imperfeito, criam-se as máscaras, ou, “como devo ser” – o bom menino, a boa menina, o aluno aplicado, que são tentativas conscientes de colocar-se acima da dor, mas acaba consumindo e desperdiçando muita energia.

Fazer Psicoterapia para Desenvolver Potenciais.

Essa questão incita a fazer uma vivência psicológica para nos conhecermos, até uma busca da psique em busca de nossa verdadeira natureza e reais necessidades e realizações. Mais cedo ou mais tarde, será preciso encontrar a satisfação interior.

Quando você aceita suas dualidades e conflitos, o que inclui o lado bom e ruim, o ego limitado e toda sua potencialidade pode encontrar-se e aceitar-se. Conhecer o eu interior é uma jornada para dentro de você. Assim, você pode encontrar suas verdades mais profundas e liberar o caminho para suas forças interiores” Lisiane Hadlich Machado – Psicóloga

 

71