Depressão na Infância e Adolescência 1


A depressão  é uma doença que necessita de psicoterapia adequada, quanto mais cedo buscar tratamento psicológico melhor. Infelizmente vivemos em uma sociedade em que a maioria das pessoas desconhece os benefícios de cuidar da saúde mental e emocional. A consequência disso  é a atual epidemia de transtornos de ansiedade, de humor (bipolaridade, boderline, depressão) e suicídios (quando a pessoa não recebe tratamento adequado).

A depressão na maioria das vezes começa na infância ou adolescência, a falta do tratamento psicológico adequado pode perpetuar a doença ao logo da vida.

Como é o sistema familiar desse jovem? Quais as dores emocionais não elaboradas?

As ultimas 3 gerações e as relações parentais influenciam no emocional da criança. Principalmente os relacionamentos mais próximos. Muitos dos jovens que atendi com depressão também tinham familiares com essa patologia crônica e aceita no meio familiar como algo normal ou parte da vida.

Como é o seu autoconhecimento? A partir de como você e seu cônjuge lidam com suas emoções os filhos aprendem a fazer o mesmo. As crianças captam a energia da casa e dos pais e somatizam na forma de sintomas.

Uma vez atendi uma paciente com depressão grave, aos 11 anos. Através dos desenhos e psicoterapia foi descoberto que todo desconforto em relação a vida, alegria, prazer estavam, inconscientemente, relacionados as vivencias da avo e da mãe nos seus relacionamentos. Ambas tiveram relacionamentos muito conturbados, com violência verbal, física e sofreram abandonos dos cônjuges enquanto gravidas.

A mãe da minha paciente a cuidou com todo amor e carinho, construiu uma vida independente e boa para elas. Porem a minha paciente sempre foi uma criança sensível, que chorava “sem motivos”, dificuldade de se relacionar, tinha hábitos de cortar-se com gilete e ate que uma professora a ouviu dizer que ela não queria estar viva e a encaminhou para buscar ajuda psicológica.

Sintomas da Depressão na Infância e Adolescência

Na infância, podemos observar sintomas de depressão como afastamento do colégio, dores (barriga, cabeça, vômitos sem causa física), crises de choro, isolamento, apatia dificuldade de convívio social, agressividade, chamar a atenção com detalhes que assustam os pais, falar em sumir ou morrer.

Podem ser desencadeados pelo padrão emocional dos pais, mudanças de cidade, mudanças de escola, ausência de um dos pais, separação/divorcio, brigas familiares, abuso sexual, vícios, ambiente instável emocionalmente, ambiente autoritário, falta de lazer e tempo saudável em família, falta de dialogo, falta de presença de qualidade, entre outros motivos.

Conflitos entre os cônjuges também estão diretamente ligados a crianças depressivas. Isso cria um ambiente de tensão, medo. Algumas vezes as crianças são usadas nos conflitos do casal ou precisam intervir para ajudar os pais, isso causa traumas profundos. Esse jovem terá mudanças para a vida toda e nunca mais terá sua inocência juvenil.

A depressão na Adolescência – A dor da alma.

Lembra de você adolescente? Dar-se conta das responsabilidades? Ter que estudar para as provas? Férias curtas? E sua auto imagem? Seus amigos?

Imagem era tudo ne? Como você se sentia com seu corpo? sua vida? sua família? Adolescência é o inicio da consciência da identidade. Quem eu sou? O que estou fazendo no mundo? O que gosto de fazer? Quais os valores da minha família? Quais os sonhos? Quais seus conflitos? Quem ajudava você a superar os problemas?

Imagine essa identidade quebrando em muitos pedaços. E uma dor emocional imensurável. A rotina pode ir perdendo o sentido, mergulha-se em um cenário de dor. Muita dor emocional. é a depressão na adolescência. Pode vir da infância ou de fatos que causaram mudanças profundas como: luto, abuso, bulling, conflitos familiares, ansiedade social, solidão, baixa auto estima, assumir papeis impróprios para a idade, excesso de atividades intelectuais, sentir-se pressionado ou incapaz de atender expectativas de familiares, homossexualidade, timidez, falta ou excesso de liberdade, obsessão com aparência ou agradar amigos, entre outros motivos.

“Levei 3 anos para convencer meus pais a me levar na psicóloga”

Alguns adolescentes recusam terapia ou fazem experiências breves e acabam procurando ajuda para valer no final da adolescência. Outros, como na frase acima são conscientes que não estão bem e precisam de ajuda. Eles pedem ajuda. A primeira consulta é como se fosse um evento fantástico: um momento muito feliz ir na psicóloga, poder ser compreendido, falar tudo o que pensa, não ser julgado(a), poder refletir sobre a vida.

Gosto muito de atender crianças e adolescentes. Tambem gosto dos adultos, mas os jovens tem os sonhos vividos, a realidade intensa, a esperança de dias melhores e possuem soluções para tudo. A depressão é como se tirasse as cores da vida, torna-se preta. Lembro minha paciente do subtítulo acima, gostava de vestir-se toda de preto com botas enormes que estavam na moda (e que seus pais odiavam que ela usasse).

Com a terapia, a demanda eram muitos conflitos familiares. A paciente sofria em uma cultura familiar machista, homofobica, com muitas expectativas intelectuais. Ela não se encaixava. E sentiu-se desaparecendo, nada mais fazia sentido, ela vivia por viver. Ela só queria ser aceita, ser ela mesma. Com o tempo de terapia acabou percebendo que precisava se amar. Assumiu sua homossexualidade e lutou por tudo que voltou a fazer sentido, após resgatar a si mesma.

E a sequencia da historia é muito legal porque logo que ela melhorou, seus pais agendaram terapia para sua irmã. Já vendo os benefícios, a irmã não precisou esperar tanto quanto ela esperou.

 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um pensamento em “Depressão na Infância e Adolescência

  • Yuri

    Eu tenho depressão. Odeio minha família. E eles também me odeiam. Com todo mundo depressivo, como eu ia ser diferente? O mundo devia parar de achar que se trata de frescura.