Como saber se preciso de terapia de casal? 8


Relacionamentos tem varias fases e características próprias em cada uma delas. Duas pessoas decidem ficar juntas por sentirem-se atraídas uma pela outra (atração intelectual, desejo físico, admiração, amizade, objetivos em comum, etc) ou por sentimentos conflituosos e opostos (carência afetiva, ilusão, codependência, medo da solidão, gravidez, casamento arranjado, etc).

O desejo da companhia, do aconchego é inerente ao ser humano. O que significa relacionamento para você? Pode significar sobrevivência, prazer, lazer, alegria, afeto, tarefas compartilhadas. A intimidade gera responsabilidades mutuas, as vezes o sentimento de posse e o medo da perda.

Individualidade & Segurança Interior

Algumas pessoas tem dificuldades de manter sua individualidade após iniciar o namoro. Pode ser por baixa auto estima, insegurança ou controle do parceiro(a), a pessoa começa a deixar de fazer atividades que gostava (esportes, família, hobbies) ou sair com amigos, pensando ser bom para seu relacionamento. Isso na pratica sobrecarrega o relacionamento e gera desgaste pessoal.

Uma relação continua onde um se importa com o outro, ambos cuidam da sua individualidade com auto estima. E a medida que a felicidade pessoal se expande gera um “nós” afetuoso e forte. Quando um parceiro(a) rejeita a personalidade ou alegrias do outro, quando as diferenças produzem inveja ou temos pela perda é preciso tirar um momento para avaliar seu relacionamento.

A realização individual, a capacidade de compartilhar momentos, acolher o outro genuíno amor e carinho, capacidade de elaborar os próprios conflitos sem projetar no relacionamento são alguns elementos um relacionamento feliz e crescimento continuo.

Medo da Intimidade

Algumas pessoas mesmo apaixonadas procuram manter controle e distancia afetiva do parceiro. Através de fugas, inconscientes, geram desencontros e frustram anseios. Sabotam seu relacionamento. Isso representa o medo de serem vulneráveis, normalmente ligado a traumas na infância. Por exemplo, uma criança que aprendeu que é seguro não confiar em pessoas ou que não é seguro mostrar sentimentos e afetos, pode manter na vida adulta comportamentos de evitar riscos e proteger-se constantemente.

Existem feridas tão profundas que a pessoa foge da intimidade emocional na tentativa de se proteger. Exemplos: uma pessoa com dificuldade de assumir seu sentimento e compromisso, pessoas vistas como frias ou incapazes de mostrar sentimentos, dificuldade ou recusa em falar da infância, pessoas com dificuldades sexuais (ejaculação precoce, frigidez, trauma de abuso, trauma de violência, trauma de rejeição.)

O inconsciente nos relacionamentos – pela psicologia Junguiana

A principio nos achamos livres para escolher, mas será que somos realmente?

O processo de atração dá-se de forma inconsciente e por ressonância. Esta sintonia pode ser positiva (atração) ou negativa (repulsa). As positivas ocorrem por maturidade psicológica (superação, resiliência, bons relacionamentos, auto estima) e afinidades emocionais/espirituais (relacionamentos saudáveis, satisfação mutua e crescimento).

As atrações negativas, também chamados de relacionamento para complementos da personalidade se caracterizam por projeções de necessidades emocionais por traumas de infância que não foram tratados ou cuidados ao longo da vida. Nesses relacionamentos, pode haver padrões de infelicidade e conflitos crônicos como querer “salvar” o outro de seus comportamentos negativos, vitimismo, agressividade verbal ou por ignorar o outro, envolver filhos nos problemas do casal.

Em que padrão seu relacionamento se encontra? Com consciência e busca por ajuda especializada pode-se entender e superar de forma mais fácil. Difícil é ficar preso nos processos inconscientes. E o relacionamento não merece sofrer. A vida passa muito rápido, podemos lidar com os desafios de forma mais leve quando temos consciência, apoio psicológico especializado.

Expectativas Magicas & Dificuldade de aprender com os erros

Em uma cultura de busca por satisfação imediata, dificuldade de lidar com erros, falta de desenvolvimento de inteligência emocional, muitos relacionamentos terminam antes de realmente começarem. Ou tem o padrão io-io, aquele relacionamento que vai e volta.

Tambem tem aquelas pessoas que fizeram tudo antes de ter um relacionamento. Homens e mulheres que acharam que precisavam estudar primeiro, ter sucesso profissional e depois construir um relacionamento. Isso gera uma carência absurda e pode levar a obsessão por fazer o relacionamento dar certo.

Como é o dialogo entre vocês?

Na vida é preciso equilíbrio. Não fazer de um relacionamento um objetivo de vida e ao mesmo tempo não desprezar sua importância como parte da vida. Pessoas muito carentes, ansiosas, imediatistas ou sem realização pessoal vão gerar insatisfações constantes nos relacionamentos.

Alguns estudiosos em terapia de casal relatam que os contos de fada, imediatismo, imaturidade emocional, expectativas surreais em relação ao casamento de “foram felizes para sempre’ geram muitas frustrações de pessoas que estão despreparadas para um relacionamento.

O pensamento magico estimula as ilusões acerca dos relacionamentos. A falta de preparo psicológico pode gerar muitos términos e voltas de relacionamento, decisões mal pensadas ou que geram culpa, arrependimento. Manter um relacionamento saudável envolve gerir diferenças e desentendimentos. Para isso é preciso vitalidade, energia, proposito.

Cuide de seu relacionamento.

Muitas pessoas só se dão conta que o relacionamento é importante quando o perdem ou quando o copo transborda. Então, outro ponto muito importante de eu abordar é que quando a relação esta muito desgastada, fragilizada e se você esta distante do seu cônjuge, abre-se espaço para decisões ou acontecimentos sem volta. Por exemplo, vícios, traições, promiscuidade, violência domestica. Como terapeuta de casal eu sei que toda relação tem um tempo para recuperação, antes de grandes danos.

Na verdade é sua auto estima, a segurança pessoal, autenticidade, clareza de valores que vai determinar o que parceiro(a) que você atrai e a construção desse relacionamento.

Reconhecer isso pode levar a adaptação da realidade, sentimento, pensamento. Espero que este texto tenha te ajudado a refletir sobre seu relacionamento. Buscar ajuda especializada para entender critérios das escolhas feitas, diminuir ansiedade e expectativas, cuidar da criança interna.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 pensamentos em “Como saber se preciso de terapia de casal?

  • Marieli

    Sou codependente e acho que fazer terapia me ajuda bastante nesse sentido de colocar limites em relacionamentos toxicos, pessoas toxicas. Obrigada Lisiane.

  • Julio

    Minha ex era bipolar e vivi bem isso. A culpa por terminar era muito ruim, a chantagem que ela fazia falando em se matar. Demorei para decidir mas foi a melhor coisa que fiz, me separar. E nada de ruim aconteceu, pelo contrario.

  • Katia

    Melhor coisa que eu fiz foi fazer terapia e conseguir terminar uma relação que só me fazia infeliz. obrigada Lisiane

  • Maicon Junior

    O problema é a zona de conforto, as desculpas e o comodismo. Vai-se levando e a vida fica ruim, a convivência insuportável. Muito ruim passar por isso.

  • Joao Pedro

    Quero agendar uma consulta. Admiro seu blog e as informações apresentadas, me identifico bastante. Obrigado

  • eric

    Quando duas pessoas estão infelizes o melhor caminho seria a separação. Eu vivi no meu casamento a historia dos meus pais, sem terapia jamais teria conseguido enxergar isso e ter forcas para uma nova vida. Vale a pena fazer terapia. Obrigado

  • Geiza

    Já me separei 3 vezes e quase pirei de solidão na pandemia. Melhor sozinha do que mal acompanhada. Tenho medo de envolver-me novamente e sofrer.