Como é sua comunicação com seu parceiro(a)?


A maioria dos casais quando chegam na terapia tem grandes problemas devido a falta de comunicação ou má qualidade da mesma.

Nem todo mundo consegue expressar claramente o que sente, no momento propicio. Outras pessoas acham que vão magoar ou optam pelo silencio diante de desconfortos. E também tem personalidades que gostam que adivinhem seu olhar ou pensamentos, ficando irritados(a) na falta da reciprocidade. Também tem quem queira sempre agradar o outro(a) ate que se da por conta e para o comportamento.

Todos esses exemplos vão minando o relacionamento ate que um dia um dos parceiros explode emocionalmente. A exaustão emocional no relacionamento pode acontecer com diversos sintomas: traição, vícios, solidão a dois, promiscuidade, planos individuais, rancor, indiferença, dividas financeiras, ausência ou excesso de intimidade sexual, raiva contida, indiretas, falar mal do cônjuge para os filhos ou terceiros, violência psicológica, agressividade verbal.

Explodir emocionalmente não começa com uma discussão. Inicia nos pequenos detalhes da relação: pensar no bem estar do outro, sentir-se bem, empatia, carinho, entendimento, sintonia e conexão a dois. Muitos casais que se gostam, na falta de terapia conjugal, acabam separando-se pela falta de dialogo e entendimento. Esses divórcios emocionalmente mal resolvidos produzem o ciclo da repetição e auto sabotagem, podendo ter consequências para a vida toda.

Expressar o que você sente e ser compreendido passa por um processo interior que tem origem na sua relação com seus pais, na sua infância. Inconscientemente você projeta no seu parceiro(a) suas expectativas amorosas e a busca por corrigir seu padrão familiar amoroso.

Comunicação e Diferentes Personalidades

Por exemplo, um casal cujo homem é bastante racional focado na sobrevivência familiar e nas pressões do trabalho. É um sujeito perfeccionista, comprometido com o trabalho e sempre busca justificar-se com isso e explicações racionais. Sua esposa é uma mulher muito sensível, voltada a presença de qualidade e cuja personalidade espera que ele leia seus pensamentos ou adivinhe o que ela deseje. Ela sente falta de mais companheirismo e sensibilidade, ele não entende porque a esposa começa a ficar distante e irritada. Com o tempo, inicia-se cobranças e discussões. Ela cobra que ele passe mais tempo com a família e diz que sente-se sozinha no relacionamento, ele defende-se racionalmente que precisa trabalhar e acha que faz o possível para a família. Perceba que a comunicação esta marcada por cobranças, rancor, desafeto, julgamentos. Onde vai terminar isso? As vezes em divórcio e as vezes no meu consultório.

O divorcio vai aliviar o problema temporariamente e vai ficar aquela sensação de mal resolvido, o que pode levar a pessoa buscar ajuda psicológica. Muitos se dao conta que perderam o amor da sua vida por falta de habilidades de expressão de afeto, comunicação. Ou que tem dificuldade de relacionamento devido a traumas de infância.

Buscar ajuda de um profissional é a busca pela consciência e pela mudança. O que podemos fazer para melhorar? Eu adoro ser terapeuta de casal, traz muita gratidão poder renovar relacionamentos e ir transformando sentimentos. No mínimo trazer clareza e esclarecimento para o relacionamento e conduzir um trabalho no sentido do restabelecimento da paz.

Voltando ao casal do caso clinico, em terapia conjugal, eles descobrem onde estão seus desacertos: o parceiro percebe que precisa colocar limite no trabalho e aproveitar mais a vida em família, também percebe seu excesso de racionalidade e inicia uma terapia individual para treinar sua sensibilidade. A parceira dá-se conta que precisa melhorar sua comunicação e falar naturalmente o que sente, bem como pedir ajuda na casa, com os filhos ou para programar passeios e fazer planos futuros.

As técnicas terapêuticas foram elevando a consciência e fortalecendo os pontos positivos que geraram a conexão de almas entre eles. Após as mudanças tornaram-se habituais pode-se dar uma alta clinica ao casal ou família. Comportamentos não se mudam de uma hora para outra por isso a psicoterapia é um processo de sessões e acompanhamento. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *