Amor Próprio, Auto Estima e Auto confiança. 13


Muitos autores definem a auto estima como a saúde da mente, na minha experiência de mais de duas décadas como psicoterapeuta também vejo assim. O mundo todo vem despertando para a questão de que a auto estima saudável gera desenvolvimento de potencial e realizações, bem como lidar com decepções e sofrimentos que vão passar parte da vida.

Já aproveito para escrever sobre o trio: auto estima, amor próprio e auto confiança. Estão todos relacionados e tem impacto direto em nossa avaliação de nos mesmos, dialogo interior, habilidade de dar conta dos desafios básicos da vida, sensação de ter valor por ser quem é, confiança no direito de ser feliz e vencer, merecimento daquilo que desejamos através do esforço.

Esses componentes psicológicos não são dons e não é fácil desenvolve-los ou senti-los. Estão diretamente ligados a consciência emocional, ou como você lida e aprende com seus sentimentos. Isso passa por um profundo processo de auto conhecimento. Muitas vezes envolve tratar feridas emocionais profundas que geraram conceitos negativos sobre si mesmos.

Qual seu nível de auto estima?

Seu nível de auto estima afeta todos os aspectos da sua vida: relacionamentos, decidir estudos, por quem você vai se apaixonar, nível de felicidade pessoal, como atuar no local de trabalho, ate onde você quer chegar.

De acordo com a psicanalise, a auto estima saudável relaciona-se com racionalidade, realismo, intuição, criatividade, independência, humildade, flexibilidade e cooperação. Realiza-se desafios, existe abertura para aprendizado, lidar com os problemas de forma rápida, se erguer rápido após um tombo, energia para recomeçar.

Na auto estima baixa, pouco se deseja. Vive-se o conhecido, o pouco exigente, cegueira diante da realidade, medo dos outros ou hostilidades, rebeldia, comportamento submisso ou supercontrolador, arrogância, excesso de vaidade. E as decisões, atitudes podem estar voltadas para os outros, se esquece de si mesmo, anula-se e buscam aceitação social: elogios, agradar, redes sociais, vícios, moda do momento. Isso gera muita incerteza e ansiedade, uma vida de vazio e dependência emocional, co dependência afetiva.

Auto Aceitação.

Por que construir a auto estima saudável é tão difícil? Ela não existe sem auto aceitação. A auto estima tem componentes psicológicos que a desenvolvem. Em psicanalise estudamos a fundo esses conceitos e a significação das experiências.

Auto estima e amor próprio é algo que se experimenta. Auto confiança será a consequência dessas duas vista em atitudes. Auto aceitação é a sua vida interior, seu dialogo interior. Refere-se a uma orientação de valor próprio e do compromisso consigo mesmo com sua vida. Algumas pessoas rejeitam a si mesmas de uma forma tão profunda que exige uma abordagem terapêutica para tratar os traumas. Se isso não acontecer, nenhum tratamento terá efeito.

O ódio por si mesmo, o repudio do valor como pessoa ou renunciar ao direito de viver refletem sintomas profundos na falta da auto aceitação. O desespero, ansiedade e depressão levam aos consultórios da psicoterapia, mas precisa-se olhar as raízes. Quando parou a forca da vida e iniciou a forca da morte?  A falta do movimento, da forca de viver com auto respeito reflete a inexistência da auto estima.

Desenvolvendo inteligência emocional

Tanto a auto aceitação como auto rejeição são reflexo de um conjunto de processos físicos, mentais e emocionais. A questão de vivenciar e estar aberto as emoções gera uma apropriação dos sentimentos, validação emocional.

Todas as vezes que você se arrependeu de algo, seu corpo e seu emocional tentou avisar você. A mente vem depois do racional. Quando você evita ouvir seus sentimentos, desconecta-se das experiências mais satisfatórias.

Sempre proponho técnicas e exercícios para aumentar a consciência emocional de meus clientes. Esses se surpreendem como algo que parecia fácil acaba sendo tão difícil, complexo ou ate nem querer fazer sozinhos. Aprofundando a consciência emocional, muitas informações importantes se apresentam.

Vou apresentar um exemplo. Uma cliente que se recriminava por sentir raiva do marido quando ele se atrasava para o jantar. Ela se achava ridícula por sentir isso, ficava quieta mas a sua raiva aumentava. Fizemos alguns exercícios emocionais e ela começou a se dar conta que também sentia dor no peito, dor de estomago em outras vezes que também reprimia sua raiva. Com algumas meditações mais profundas, descobrimos que toda vez que ela reclamava de algo na infância, era deixada sozinha e de castigo. Outras vezes, era extremamente censurada e desaprendeu a confiar em si mesma. A raiva profunda na verdade escondia um medo da solidão, de ser abandonada. A partir dessa percepção mais profunda, descobriu-se uma raiz do conflito.

Amor Próprio

Amor próprio é levar em conta seus sentimentos em suas decisões. Você sabe colocar limites nos seus relacionamentos? Você se aceita como é ou tem medo de não agradar?

Na falta de cultivar o amor próprio a pessoa vai adequando-se a sociedade, ao parceiro(a), grupo de amigos, trabalho. Sem auto aceitação a pessoa fica sempre se comparando negativamente.

Enquanto a gente se recusa em se amar e se aceitar a gente fica dizendo que não é bom o suficiente. Nunca vou ser tão boa, nunca vou conseguir… sempre o discurso da negatividade. Isso é uma identificação com auto imagem distorcida.

A psicoterapia, para mim, é uma jornada de desenvolvimento gentil, auto aperfeiçoamento que traz ao analisando uma nova maneira de se perceber e se avaliar. Auto consciência é a percepção de ser merecedora(or) de amor. Auto aperfeiçoamento são os pontos que você pode melhorar.

Espero que este texto tenha contribuído na sua reflexão para ser seu melhor amigo(a). Se quiser iniciar sua jornada de psicoterapia, conte comigo.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 pensamentos em “Amor Próprio, Auto Estima e Auto confiança.

  • Carvalho

    Eu sempre tive medo de ser bem sucedido, não sei lidar com concorrencia, fico para trás… acho que tem a ver com o seu texto, auto sabotagem… nunca tinha pensado nisso. Obrigado…

  • Gilberto

    Eu concordo com o artigo. Fui infeliz em vários relacionamentos antes de entender a importância do auto conhecimento. A carência, desespero, status apenas me prejudicaram. Amor precisa ser leve para ser amor, amor próprio deixa tudo mais leve. parabéns por seu trabalho.

  • Arthur

    Demorei muito para descobrir a importância de cultivar o amor próprio. O mais difícil foi aprender a dizer não e parar de agradar os outros. Agradeço sua ajuda. Recomendo a terapia online, ótima e seria profissional.

  • Gilberto

    Bom dia, muito importante esse assunto. Levei muito tempo para aprender a me valorizar e aprender a dizer não.

  • Carlos

    Obrigado, muito bom o texto. Adoro fazer terapia, queria ter feito antes para evitar tantos erros na vida.

  • Gabriella

    Obrigado por tudo Lisiane. Fazer terapia foi um divisor de aguas na minha vida.

  • Luis

    Muito bom. você e uma ótima psicóloga. adorei o texto. sucesso e obrigado.

  • carla

    Seu site tem varias informações legais. obrigada. Parabéns pelo trabalho.

  • Afonso

    Maravilha. A minha esposa teve muitos traumas e depois de fazer terapia recuperou o amor próprio e auto confiança. Recomendo a psicoterapia. Obrigado Lisiane

  • Marga

    Eu sofro de baixa auto estima. Descobri que fui traída, preciso de ajuda para aprender a gostar de mim. Tenho medo da solidão. Gosto dos seus textos, obrigada.